segunda-feira, 23 de maio de 2011

A mulher samaritana

Talvez para evitar se encontrar com as mulheres respeitáveis da cidade que enchiam seus jarros de água ao romper do dia e ao pôr do sol, a mulher samaritana foi ao poço ao meio-dia, ahora mais quente do dia. Essa mulher imoral que já tivera cinco casamentos agora vivia com um homem que não era seu marido.
Quando Jesus passou de propósito em Samaria no caminho para a Galiléia ele encontrou e conversou com essa mulher na fonte de Jacó que ficava próxima a cidade de Sicar quebrando três importantes regras sociais:
1) Primeiro, as mulheres eram consideradas muito inferiores aos homens ; no Oriente Médio um homem jamais falava com uma mulher em público nem mesmo sua esposa, mãe e irmã.
2) Segundo, os judeus não falavam com os samaritanos. Eles acreditavam que os samaritanos tinham traído a fé pois haviam se casado com estrangeiros. Os judeus e samaritanos se odiavam e se evitavam.
3) Terceiro, nenhum homem de respeito especialmente um mestre falaria com uma mulher de reputação tão desprezível. Essa mulher era conhecida proscrita social.
Jesus desprezou essas barreiras sociais quando conversou com a mulher samaritana. Ele revelou-se como o tão aguardado Messias oferecendo perdão, redenção e vida nova. Ela bebeu de seu cálice da água viva e correu de volta a cidade, para aqueles que a desprezavam , o povo de Samaria. Lá proclamou com entusiasmo e ousadia a chegada do prometido Messias.
O povo de Samaria zelosamente respondeu a Cristo. Também eles ansiavam por sua água viva. Mais tarde Jesus desafiaria os seus discípulos a testemunharem em Samaria - At 1, 8- e Filipe, um diácono, abriria uma missão alí - At 8, 5- .No entanto as boas novas de Jesus Cristo foram anunciadas primeiro ao povo de Samaria através do testemunho de uma mulher pecadora e imoral que bebeu da água ofertada e foi perdoada, limpa e renovada e nunca mais teve sede.
Ver;
Adultéio - Os 3
Perdão - Sl 51; Lc 17.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário